terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Haverá Sangue



Desconheço se o filme Sangue Negro tem previsão de estréia no cinema de Campos, mas torço para que em breve possamos ver aqui o filme que perdeu em Berlim para Tropa de Elite.

There will be blood, seu titulo original, já nos avisa de sua mirada crítica e histórica da exploração do petróleo. Mas, como falava Quintin no post embaixo, temos aqui um diretor que julga sem adoutrinar, que entende de cinema.

Um bom filme sempre é mais do que a soma de suas partes, mas é difícil não se admirar pela música poderosamente dissonante; o talento de Daniel Day Lewis e a decisão do diretor (Paul Thomas Anderson) de focar sua lente num personagem tão abjeto e fascinante como o magnata Daniel Plainview.

Com o petróleo, avisa Paul Thomas Anderson, haverá sangue.
Pode ser fácil fazer predições a posteriori, o difícil é fazer filmes como este.

(será essa uma predição válida também para nossa região?)

4 comentários:

Roberto Moraes disse...

Caro Gustavo,

Com certeza uma boa pedida para estas nossas bandas, um tanto largas por tanto drenar o dinheiro gerado pelo sangue negro, sem precisar ficar com a cara vermelha e nem com as mãos sujas de óleo.

Uma nota, talvez premonitória, pelo horário da postagem, quase coincidente com o acidente de ontem.

Abs,

Xacal disse...

Don Alejandro,

Em Campos dos G. não jorrará sangue...já estamos imersos em um mar de lama, rejeito ético-ambiental da exploração petrolífera...

Desculpe o trocladilho...

There will be no blood...there´ll be mud...

Em tempo: desculpe por tocar em assunto diverso do post, mas gostaria de incluir seu blog na lista de indicações da TrolHa? Aguardo resposta...?

Abraços...

Gustavo Alejandro Oviedo disse...

Xacal, fico honrado por sua sugestão. o mesmo farei com o seu blog, aqui.

Aucilene disse...

Oi, Gu!

Passei para uma visita, leitura e aproveitei este post para dizer isso e acrescentar que a expectativa pelo filme é minha também. E grande. Amo o trabalho do Daniel Day Lewis!
Concordo com o comentário do Roberto... E quem não?

Bjins