sábado, 13 de março de 2010

ATENÇÃO: SEM OS ROYALTIES, CAMPOS PODERIA FICAR ASSIM

5 comentários:

Branca disse...

Oi Gustavo, tomei a liberdade de postar no meu blog sua previsão...o máximo!!Abços

Fábio Pereira da Silva disse...

Não consigo ver diferença nenhuma!!!!

Gustavo disse...

Branca, fica a vontade, a casa é sua.

Fabio, na mosca.

Anônimo (comentário recusado), se lhe resta um pouco de coragem para se mostrar, pode ir a secretaria onde a pessoa trabalha e dizer isso a ela pessoalmente. Tenho certeza que na atual administração você está bem acobertado.

Anônimo disse...

Ha mais de 20 anos que Campos e assim. So mudou uma coisa, passou a ser dos goitacazes. Tambem, entregaram logo a quem, aos INDIOS.

Anônimo disse...

NINGUÉM QUER A CPI DOS ROYALTIES.

"Esta diretriz não suprime a necessidade da implantação de instrumentos de controle social"

Por que será que a prefeita e os ex-prefeitos não querem a instalação da CPI dos royalties?

A proposta da vereadora Odisséia(CPI) foi rejeitada por todos.

Essa mesma proposta já foi colocada em discussão anos atrás, pelo então vereador(nobre vereador) Antonio Carlos Rangel(Cacau); também foi desprezada.

Será por quê? Todos sabem...
Por isso, pergunto: para onde foram os recursos dos royalties?

Em 1986, o orçamento mensal de CAMPOS DOS GOYTACAZES era de 1(um) milhão de reais(12 milhões no ano) .

Em 2009, CAMPOS DOS GOYTACAZES contou com um orçamento(anual) de aproximadamente R$ 1.500.000,00(um bilhão e meio de reais).

Janeiro de 2010, CAMPOS DOS GOYTACAZES contou com um orçamento de 89.381.920,94.
Fevereiro de 2010, CAMPOS DOS GOYTACAZES contou com um orçamento de 217.657.464,63.

RESUMINDO:
EM 1986: 12 milhões no ano;
EM 2009: R$ 1.500.000,00(um bilhão e meio de reais).


De 1986 a 2009, o que mudou efetivamente em CAMPOS DOS GOYTACAZES?


CAMPOS DOS GOYTACAZES
Um dos maiores PIBs do Estado do RJ

Campos uma das maiores desigualdades (0,49). Como é vergonhosa a desigualdade
em Campos.

Desigualdade!
Método utilizado: Índice de Gini - É utilizado para calcular a distribuição de renda, varia entre 0 e 1. Onde 0(zero) corresponde à completa igualdade de renda e 1(um) corresponde à completa desigualdade.

O município com a mais alta desigualdade, Parati teve o índice de 0,55.

Próximo de 0(zero) é bom; próximo de 1(um) é ruim.

Areal 0,40
Armação dos Búzios 0,42
Arraial do Cabo 0,39
Campos dos Goytacazes 0,49
Duque de Caxias 0,42
Engenheiro Paulo de Frontin 0,40
Guapimirim 0,42
Iguaba Grande 0,43
Itaboraí 0,39
Parati 0,55
Queimados 0,39
Quissamã 0,41
Rio das Ostras 0,41
Rio de Janeiro 0,48
Santa Maria Madalena 0,48
Santo Antônio de Pádua 0,48
São Fidélis 0,46
São Francisco de Itabapoana 0,44
São João da Barra 0,42
São José de Ubá 0,39
Sapucaia 0,42
Três Rios 0,43
Varre-Sai 0,40
Vassouras 0,46
Volta Redonda 0,41

OS SEM-ROYALTIES
De 92 cidades do Rio, apenas cinco não recebem riqueza que vem do óleo
Entre as 92 cidades do estado, Sapucaia(0,42), Areal(0,40), Comendador Levy Gasparian(0,36), Paraíba do Sul(0,43) e Três Rios (0,43) não entram no rateio da riqueza do petróleo.


COM ROYALTIES:
Campos dos Goytacazes 0,49(DESIGUALDADE)

SEM ROYALTIES:
Comendador Levy Gasparian 0,36(DESIGUALDADE)



Campos é a sexta cidade mais rica do país.

O povo campista parece não ser beneficiado por um centavo dos R$ 1,4 bilhão do orçamento do município. Se pudesse ser simplesmente distribuído à população, cada habitante receberia R$ 3,2 mil.

O aumento na
arrecadação dos royalties do petróleo não significou redução nas desigualdades
socioespaciais na cidade de Campos dos Goytacazes (RJ).