sexta-feira, 21 de setembro de 2012

A escolha racional do eleitorado campista


Arcos da Beira Valão e postes roxos. Tudo feio, mas ninguém fez melhor. Foto de Rubenildo Silva

A sensação que tinha desde algum tempo atrás, acerca da preferência do eleitorado em reeleger a prefeita Rosinha, vem se confirmando com as ultimas pesquisas do Ibope.


Mas é interessante observar como uma grande parte daqueles que se tomam o trabalho de analisar a realidade política local estão chegando à conclusão de que os outros candidatos (pelo menos aqueles com maior expressividade) não tem nada novo a oferecer, e que talvez, a escolha mais racional por parte do eleitorado seja a manutenção dos Garotinho no poder.

Afinal, como diz Douglas da Mata,talvez seja melhor ficar com a original do que com as cópias. Com efeito, assistir os programas partidários de Mackhoul e Arnaldo é ver um deserto de idéias. Ambos gastam seus preciosos minutos na TV apenas para dizer que vão manter a Passagem a 1 real, o projeto Morar Feliz e outros programas da atual administração. Pretendem ser, somente, a versão ‘honesta’ do governo Rosinha.

Deveriam saber que o problema de erguer, como única bandeira, a da honestidade, é que ela não empolga, nem atrai o eleitorado. Não porque seja um valor irrelevante, mas porque, hoje, o povo não acredita em político honesto. Sendo assim, é claro que vão preferir aqueles safados que, até agora, mostraram algum serviço.

O povo escolhe racionalmente: nesta eleição, se trata de eleger o cafajeste que mais o ajude.

Organizar um novo projeto político, que represente uma verdadeira renovação, terá como objetivo mudar a percepção que as pessoas tem da política. Mas só se conseguirá isso quando a proposta for séria; quando houver algo mais do que um bom marqueteiro, um bom jingle de campanha, ou um cabo eleitoral de renome estadual.

Os publicitários passam a idéia de que político bom é aquele com natureza vencedora. Eu quero um que saiba renunciar a certas coisas.

Por exemplo, que renuncie a fazer qualquer acordo ou compromisso com setores que sempre identificaram como os responsáveis do atraso, apenas para angariar mais votos; ou que desista de controlar os recursos dos royalties em favor de um órgão multi-setorial, encarregado de pensar no presente e no futuro da cidade, antes de torrar o dinheiro;

Um político que seja, em definitiva, incapaz de renunciar a suas idéias em troca de uma vitória refém de compromissos.

3 comentários:

Anônimo disse...

Caro blogueiro:desculpe o anonimato,mas não posso de deixar de comentar sua avaliação nesta postagem.Vc.avalia todas as coisas de forma racional e correta,realmente os candidatos de oposição são todos aparentemente ineptos para o projeto que nosso município precisa e em relação à honestidade coloco Garotinho e Arnaldo empatados;os demais só saberemos se alcançarem a Prefeitura,mas me permito discordar de uma avaliação técnica que vc faz do governo Rosa em comparação por exemplo aos 2 governos anteriores:fora os roubos,tivemos nas gestões anteriores progressos substanciais em várias áreas,cito a Saúde por exemplo,no governo Rosa houve flagrante involução,atraso,descaso e espoliação de serviços conquistados a duras penas.É a gestão da dilapidação patrimonial do munícipe;desta forma caro amigo achei sua comparação descabida,dá a impressão que vc é rosa quando acho que quem escreve deve ter uma postura isenra e crítica.
Um abraço de um cidadão campista comum.

Gustavo disse...

Anônimo, se se tomasse o trabalho de ler outros posts que publiquei veria que tenho pouca simpatia pelo atual governo. Mas também é verdade que tenho simpatia ainda menor pelos governos de Arnaldo e Mocaiber.

O que tento explicar é a escolha que a população faz pela atual administração. Evidentemente, se a situação da saúde tem piorado em relação ao governo de Arnaldo, isto não é determinante para mudar o favoritismo da Prefeita, que provavelmente fica melhor parada em outras áreas como moradia, transporte e assistência social.

Aqueles que não gostam deste governo, não podem ter como alternativa escolhas que se apresentam tão ruins, ou piores.

Em definitiva, o que penso é que se se pretende eliminar a essência do Garotismo na política local, a primeira coisa a fazer e determinar quais são as verdadeiras escolhas.

Não há mudança (para melhor)em trocar uma prefeita que gastou 80 milhões no CEPOP, por outro que gastou 45M numa reforma de uma praça.

Abraços.

Roberto Manhães disse...

Tribunal Regional Eleitoral do Rio de janeiro
100ª Zona Eleitoral do Rio de Janeiro Av. Alberto Torres, 81 - Centro - Campos - RJ -
Cep: 28.010-350
Proc. 415-2012.619.0100

DECISÃO

As denúncias formuladas às fls. 02/03, noticiando acerca da pintura dos semáforos de cor rosácea confirmada pela equipe de fiscalização às fls. 04/06 denotam ilegalidade na conduta por remexer ao eleitorado, em pleno momento de campanha eleitoral, à cor notória e publica utilizada pela candidata à reeleição Sra. Rosinha Garotinho, caracterizando portal propaganda eleitoral subliminar efetuada em bens públicos.

Assim nos termos do artigo 10 da Resolução nº 23.370/2011 do TSE, bem como no exercício do poder de polícia auferido a este juízo pelas Resoluções 792/11 e 707/12 ambos do TSE determino a notificação da candidata Rosinha Garotinho e Coligação Campos de Todos Nós, bem como da Prefeitura de Campos dos Goytacazes, para que no prazo de 48 horas restabeleçam a cor dos semáforos, cessando a propaganda subliminar, conforme §1º do art. 10 da Res. 23.370/201) do TSE.

Campos, 24 de setembro de 2012.
Gracia Cristina Moreira do Rosário
Juíza Eleitoral