terça-feira, 25 de setembro de 2012

O sonho do Barão

Tipity, Arqueologia de um Sonho Tropical é o título de trabalho audiovisual que fiz para a UESI (unidade experimental de som e imagem) do Centro de Ciências do Homem da UENF. Tudo sob a supervisão do professor Marcelo Gantos, idealizador do projeto.

Se trata apenas de um rascunho, de uma espécie de trailer daquilo que será um documentário um pouco mais extenso, sobre o projeto, implementação e queda da fábrica de farinha de mandioca Tipity, em Barra de Itabapoana, e principalmente, dos sonhos e frustrações do Barão Ludwig Kummer, fundador da fábrica.

A seguir, os breves vídeos sobre a Tipity e sobre o barão Kummer.






Voz: prof. Geraldo Márcio Timoteo
Música: Axel Krygier

2 comentários:

Roberto Moraes disse...

OLá Gustavo,

Bacana o vídeo e melhor ainda saber que ele é apenas uma avant-premier (assim?) do que ainda virá.

Ele além de ajudar no resgate da memória regional tão combalida, mas, agora, sendo retomada, mesmo que aos trancos e barrancos em projetos diversos.

Além disso, ele ajuda a contar uma parte diferenciada da economia passada regional, muito baseada na cana, mas, não de forma exclusiva, como é este caso.

Quando visitamos as ruínas com a presença de pessoal da área de técnica de eletricidade, de construção civil, eles chamaram a atenção para as características inovadoras do projeto, que o prédio mesmo em ruínas deixava ainda mostrar.

Além das instalações elétricas, a estação de tratamento de água e outras eram bons exemplos... os caminhões todos trazidos direto da Alemanha, a quantidade enorme de área plantada de mandioca que se estimulou para a matéria prima, gerou trabalho, gerou renda e junto gerou problemas ambientais em todo aquele sertão, onde só restou como unidade a Mata do Carvão, hoje, a Estação Ecológica de Guaxindiba.

A sua atuação no projeto é garantia de produção de qualidade. O Gantos é outro que gosta destes projetos, não sei se o Pires está junto.

Bacana de ver coisas deste tipo sendo trabalhadas.

Parabéns.

Abs.
Roberto Moraes

Gustavo disse...

Obrigado pelas palavras, Roberto! Realmente o projeto Tipity foi inovador em muitos aspectos, especialmente no que tem a ver com o relacionamento com os trabalhadores.

Um interessante caso de estúdio.

Um abraço.